Meia noite

Sobre o mundo, inquieta.
De noite viro um palco,
De noite viro mesa,
De noite viro nota,
De noite... Me viro.

Não tenho sono,
o silêncio me acorda:
o pensamento fala,
o escuro ouve.
Sob o mundo, a noite.

Sobretudo, mudo.
Ou quem sabe tento outra vez...
Eu viro a noite,
até de dia, no outro dia...
É tarde.

2 comentários:

paulo disse...

a noite me vira
viro mundo e prosa
é tarde
quando o silêncio
é meu
nota escura
de amanhecer

^^

Mary disse...

linda tua poesia, menina tanara... :)

:*