Nadas em devaneios

Percebi a calmaria de sentir nada.
Não há silêncio ou saudade. Nada.
Exceto medo, mas esse é um abismo...
Mergulhar ou ficar não me faz sentir...
Exceto medo, e mais nada.
Nadar me faz sentir.
Nada, faz sentido...

2 comentários:

Pedro Pan disse...

, a saudade vem de mansinho... creia.
, saudades de seus escritos. e que céu lindo tem aqui.
, beijos meus.

contador de histórias disse...

já fui nesse lugar... quem me salvou foi o medo, ironicamente.